ContConnect

Como pagar menos impostos legalmente?

Como pagar menos impostos legalmente?

Não é novidade para ninguém que o Brasil possui uma das cargas tributárias mais elevadas do mundo.

Isso acaba gerando um problema para novos empreendedores que não conseguem arcar com muitas despesas.

Mesmo para aqueles que conseguem, mas que se sentem desencorajados pela perda de competitividade.

Estes gastos poderiam ser gastos em inovação e contratação de profissionais qualificados, por exemplo.

Sem contar, claro, com a necessidade de lidar com tamanha burocracia para o recolhimento dos tributos.

Isso se torna ainda mais frustrante quando percebemos que toda essa arrecadação não retorna em bons serviços de educação, saúde, segurança, etc., como deveria.

O Brasil proporciona o pior retorno dos valores arrecadados entre os 30 países com maiores cargas tributárias, segundo dados do Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT), dados estes obtidos cruzando-se o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) com a carga tributária.

Portanto, é importante conhecer práticas eficientes para reduzir as despesas, isso tem levado muitos empreendedores a adotar a elisão fiscal, que é, basicamente, o conjunto de práticas e estratégias para pagar menos impostos legalmente.

É de extrema importância ressaltar que o oposto da elisão, é a sonegação fiscal, crime descrito pela Lei N°4.729.

Existem formas corretas de diminuir os impostos, e sonegar não é uma delas, independente do contexto, pois moralmente te torna injusto em relação a todos os outros contribuintes, e eticamente um criminoso.

Caso recorra a isso, poderá acarretar multas enormes e outras penas que provavelmente faliriam rapidamente a sua empresa e a sua imagem como empreendedor.

Confira algumas dicas que podem auxiliá-lo a reduzir as despesas tributárias:

 

DICAS PARA REDUÇÃO LEGAL DE IMPOSTOS

1) Reorganização Empresarial

Se você possui um negócio cujas contas não fecham, ou que estão aquém do seu estado ideal, talvez seja a hora de reorganizar a sua empresa.

A reorganização empresarial consiste em reestruturá-la através de novas políticas, adoção de novos procedimentos e reavaliação das práticas existentes visando soluções para melhor significativamente seus resultados.

A reestruturação pode abranger diversos setores, como o organizacional, estratégico, mercadológico e, tratando-se do financeiro, o planejamento tributário é um dos alicerces que deve estar alinhado com a missão, visão e valores de sua empresa.

2) Faça um planejamento tributário

Planejamento tributário, em poucas palavras, é o estudo prévio para escolher a opção que resulte o menor custo tributário imposto a uma pessoa jurídica, sempre, claro, de forma lícita.

Quando essa prática se torna recorrente, é possível gastar de acordo com aquilo que produz, e embora seja o primeiro passo para uma boa administração financeira.

Algumas empresas, em especial as de pequeno porte, a negligenciem e, por conseguinte, percam a oportunidade de reduzir custos e melhorar seus resultados.

O planejamento tributário pode ser dividido em duas categorias:

• Operacional – é aquele que utiliza prescritos por lei dentro de um negócio, visando o cumprimento das obrigações fiscais, ou seja, cumprir a correta escrituração e o pagamento dos tributos dentro do prazo nas rotinas de trabalho.

• Estratégico – Prévio ao planejamento tributário operacional, deve ser feito o estratégico, que consiste no enquadramento da empresa no regime tributário mais conveniente e o conhecimento de outras particularidades fiscais.

3) A escolha do regime tributário

Para evitar o pagamento de tributos desnecessários que comprometem a saúde financeira de uma empresa, a escolha do regime tributário deve ser devidamente analisada por um contador especialista no assunto.

Existem três principais regimes tributários, fique a par:

• Simples Nacional – opção mais procurada pela maioria dos empresários por ter a vantagem de oferecer alíquotas menores que os outros e uma administração tributária mais simplificada, com a facilidade de realizar o pagamento por meio de uma única guia;

• Lucro Presumido – mais comum entre os prestadores de serviços, como médicos, dentistas e economistas. Empresas com o lucro superior a 32% do faturamento bruto, podem ter grandes vantagens com essa opção;

• Lucro Real – Escolhida principalmente pelas empresas de grande porte, uma vez que as alíquotas são calculadas com base no lucro real, ou seja, a receita subtraída pelas despesas, exigindo um cuidado ainda maior que as outras.

4) Escolha de um bom contador

Ademais, por mais que você esteja bem instruído sobre métodos e práticas para pagar menos impostos legalmente, você ainda precisará de um profissional de contabilidade à sua disposição, independente do porte.

Se o que foi descrito aqui neste artigo reflete na realidade de sua empresa, conte com a ContConnect  Soluções Contábeis para lhe ajudar na reestruturação e planejamento do seu negócio.

1 comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *